China quer melhorar a genética de seus suínos para que eles engordem mais comendo menos

A China trabalhará para melhorar a genética de seu rebanho de suínos e outros rebanhos na próxima década, com o objetivo de criar animais que produzam mais carne e – ao mesmo tempo – consuma menos grãos.

A produtividade do rebanho de porcas é cerca de 30% menor do que em países desenvolvidos e vacas leiteiras produzem apenas 80% do leite do que seus pares em alguns mercados importantes, disse Shi Jianzhong, funcionário do Comitê Nacional de Recursos Genéticos de Pecuária e Aves do Ministério da Agricultura, nesta quarta-feira. A China depende de estoques estrangeiros para produzir frangos de corte de penas brancas, disse ele.

O esforço para melhorar a genética do gado é parte da meta da China de depender menos das importações para alimentar sua enorme e cada vez mais rica população. No entanto, o país continuará a trazer animais do exterior para melhorar seu estoque doméstico para alcançar mais rapidamente os países avançados, disse Chen Yaosheng, funcionário do Programa Nacional de Melhoramento Genético Suíno do ministério.

Milhões de toneladas de grãos para ração serão economizados e a pressão sobre a terra diminuirá se a qualidade dos suínos puder ser melhorada para se igualar à dos países avançados, disse Sun Haoqin, outro funcionário do comitê de genética pecuária. A mudança também apoiará a mudança da China para granjas industrializadas de suínos e frangos, disse ele.

A China transportou 10.433 suínos vivos no valor de US $ 25 milhões no primeiro trimestre, com as importações vindo principalmente da Dinamarca e dos Estados Unidos, mostram dados alfandegários.

Relacionados

Deixe um Comentário