Grupo de Prevenção à PSA expande atuação nas Américas

O grupo formado pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) e outras 20 organizações nacionais de 18 países da América Latina para traçar estratégias de prevenção à Peste Suína Africana (PSA) ganhou esta semana um importante reforço: a National Pork Producers Council (NPPC), entidade representativa da suinocultura dos Estados Unidos, passou a integrar o comitê continental de crise.

Com o reforço da NPPC, o grupo deverá fortalecer a integração e o alinhamento dos trabalhos para a prevenção à entrada da enfermidade na área continental das Américas.  

Atualmente, há registros de PSA no Haiti e na República Dominicana, localizados na Ilha de Hispaniola. Assim como o Brasil e outras nações do continente, os Estados Unidos vem apoiando os dois países no trabalho para a erradicação dos focos.

Com a adesão da NPPC, o grupo – antes Prevenção PPA Latam – passa a se chamar “Prevenção PPA América” em alusão à campanha de prevenção da Peste Porcina Africana (PSA em espanhol) em todo o continente americano. 

“As recentes ocorrências da enfermidade em países da Europa, Ásia, África e da ilha de Hispaniola evidenciam a importância do trabalho de prevenção que já está em curso nos diversos países das Américas. A manutenção do status sanitário do continente é prioritária, e todas as organizações estão empenhadas neste propósito”, detalha Sulivan Alves, diretora técnica da ABPA, uma das idealizadoras do grupo.

A entrada da NPPC foi aprovada pelo grupo durante a segunda quinzena de dezembro. O comitê “Prevenção PPA América” tem discutido novas ações para a agenda estratégica para 2022, na prevenção à enfermidade. 

Com isso, agora o grupo passou a contar com os seguintes países: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, El Salvador, Equador, Estados Unidos, Guatemala, Honduras, México, Nicaragua, Panamá, Paraguai, Perú, República Dominicana, Uruguai e Venezuela.

Fonte: ABPA

Relacionados

Deixe um Comentário