Rabobank alerta para crescimento do risco de um surto de PSA na Alemanha

Nos primeiros cinco meses de 2020, a Polônia registrou 2.487 surtos de peste suína africana (ASF, na sigla em inglês) em javalis, superando o total de casos da doença registrado em todo o ano passado, informa relatório do Rabobank divulgado nesta segunda-feira, 22 de junho.

Segundo o banco holandês, com o avanço da ASF na Polônia, cresce o risco de contaminação na região de fronteira com a Alemanha, um importante produtor de suínos do continente europeu. “O potencial de disseminação da ASF é alto, pois a doença ainda não diminuiu na Polônia e Europa Oriental”, afirma o banco, acrescentando que a situação do vírus na região de fronteira com a Alemanha “permanece tensa”.

A ASF entrou em duas fazendas comerciais de suínos no oeste da Polônia no final de março, levando à erradicação de mais de 30.000 porcos a partir de abril. Um terceiro caso da doença em uma fazenda comercial no leste da Polônia foi confirmado em 5 de junho, informa o Rabobank, acrescentando que o sistema de defesa sanitária na fronteira Polônia-Alemanha está em “níveis altos”.

Diferentemente da Polônia, na Bélgica houve avanço no trabalho de controle do vírus da peste suína africana. Os sinais de atividade da doença estão ausentes há meses na Bélgica – se nenhum novo caso for descoberto, o país europeu poderá recuperar seu status de livre de ASF, afirma o relatório do banco.

Relacionados

Deixe um Comentário