Vacinação contra a peste suína clássica começa dia 24 de maio em Alagoas

próximo dia 24 de maio, o estado de Alagoas dará início ao projeto piloto do Plano Estratégico Brasil Livre de Peste Suína Clássica (PSC) com a vacinação contra a doença.  A iniciativa tem como objetivo erradicar a PSC em todo território nacional. 

Nesta quinta-feira (13), o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em conjunto com as demais instituições organizadoras, realizou uma webinar de Lançamento da “Campanha de Vacinação contra a Peste Suína Clássica em Alagoas”.

“Esse é o pontapé inicial para colocarmos o Brasil – estados livre e os não livres – na mesma página. O Plano para erradicar a Peste Suína Clássica no Brasil vai beneficiar tanto as comunidades locais, que têm na criação de suínos uma alternativa de fonte alimentar e de renda, quanto a suinocultura industrial nacional, que mantém sua competitividade no mercado internacional diretamente relacionada à qualidade e à confiança conferidas pelos controles sanitários”, destacou a ministra da Agricultura, Tereza Cristina.

A PSC, também conhecida como febre suína ou cólera dos porcos, é uma doença viral, altamente contagiosa, que afeta somente suínos domésticos e asselvajados, não sendo transmissível a humanos, e produz grandes perdas produtivas e econômicas aos produtores. Os principais sintomas nos animais são febre alta, lesões avermelhadas na pele, conjuntivite, falta de apetite, fraqueza, diarreia e aborto.

Além de Alagoas, outros 10 estados brasileiros fazem parte da zona não livre da doença: Amapá, Amazonas, Ceará, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Roraima. 

O uso da vacina contra Peste Suína Clássica na zona não livre da doença foi autorizado pela Instrução Normativa nº 10/2020. “Estamos buscando soluções para os estados onde ainda ocorrem focos de PSC no Brasil e, para isso, é muito importante continuarmos com essa união e parceria do governo federal, estados e iniciativa privada na sequência ao plano muito ambicioso que se estenderá para os demais estados da zona não livre”, ressalta o secretário de Defesa Agropecuária, José Guilherme Leal. 

O avanço no controle e na erradicação da PSC nessas zonas possibilitará o fortalecimento das capacidades do Serviço Veterinário Oficial (SVO) em desenvolver outros programas sanitários e a vigilância das doenças animais, assim como de proteger a atual Zona Livre e as exportações brasileiras de produtos suínos.  

Zonas Livres no Brasil

As zonas livre de PSC do Brasil são reconhecidas pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) e a vacinação é proibida. 

A zona livre concentra mais de 95% de toda a indústria suinícola brasileira. Toda a exportação brasileira de suínos e seus produtos são oriundas da zona livre, que incorpora 15 estados brasileiros e o Distrito Federal (RS, SC, PR, MG, SP, MS, MT, GO, DF, RJ, ES, BA, SE, TO, RO e AC) e não registra ocorrência da doença de PSC desde janeiro de 1998. 

Os limites entre as zonas livre e não livre de PSC são protegidos por barreiras naturais e postos de fiscalização, onde procedimentos de vigilância e mitigação de risco para evitar a introdução da doença são adotados continuamente. 

Campanha de Vacinação 

No lançamento da Campanha de Vacinação, foi apresentado o Plano Estratégico Brasil Livre de PSC e importância para a suinocultura nacional. Também foram abordados os desafios do projeto piloto com a vacinação em Alagoas, bem como as perspectivas futuras com a replicação da campanha nos demais estados que compõe a zona não livre de PSC. 

O projeto piloto será executado de forma compartilhada pelo Mapa, Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas (Adeal), Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Confederação Nacional de Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) e Zoetis Indústria de Produtos Veterinários. 

Apoiam a iniciativa a Associação Brasileira das Empresas de Genética de Suínos (Abegs), Associação dos Criadores de Alagoas (ACA), Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Alagoas (FAEAL), Fórum Nacional dos Executores de Sanidade Animal (Fonesa), Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (Sindan) e Organização das Cooperativas do Brasil (OCB).

Relacionados

Deixe um Comentário